Os comentários a este blogue serão moderados pelo autor, reservando-se o mesmo a não reproduzir aqueles que pelo seu teor sejam considerados ofensivos ou contenham linguagem grosseira.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Não lhe liguem, coitado...

ATÉ ADMITO que exista quem considere José Saramago um grande escritor, não duvido que alguém assim possa pensar. Não é decididamente o meu caso, acho que o nosso País está servido (e bem!) de outros, cuja escrita é bem mais interessante e rica que a deste homem a quem um dia a Academia Sueca resolveu conceder um Nobel. E também confesso, verdade seja dita, que o homem "encanita-me" bastante, tanto pelo triste passado enquanto director-adjunto do "Diário de Notícias" (e não me venham falar em excessos de juventude, porque em 1975 Saramago já não era propriamente um menino...), como por aquele ar pretensamente superior e professoral com que opina sobre tudo e todos, dando-se uns ares de referência moral da Pátria que aquela irritante senhora Pilar del Río deve adorar e fomentar.
Vem isto a propósito da polémica (oportunissima para as vendas, é claro!) que o seu último livro provocou nos meios católicos cá do burgo, a ponto de já existir quem lhe exija que renuncie à nacionalidade portuguesa, como foi o caso do euro-deputado Mário David. Mas ninguém percebe que é exactamente isso que o sr. Saramago quer? Que falem dele, do seu livro, que os jornais e televisões lhe dediquem espaço, que surjam uns Sousas Laras da praxe a dizer uns disparates inconsequentes e bacocos da boca para fora?! Por favor... Não lhe liguem, encolham os ombros, sorriam, assobiem para o lado. Sabem que mais? Comprem livros do António Lobo Antunes, ponham-nos debaixo do braço e formem um cordão humano a atravessar Lisboa! Isso é que era!

4 comentários:

miguel vaz serra....... disse...

A Pilar del Rio,señora de Saramago.
Muy señora mia, en los años en que vivi en su tierra, nadie sabia quien era su marido y por aqui, se intentaba olvidar de todo lo desastroso que era donde se ponia la mano.Haganos un imenso favor.Lleveselo a Lazanrote de una puta vez, y quedense, él y husted, de una puñetera vez en la Isla..que no bonita, como la de Madona.Ya está bien de tanto disparate.....
Gracias por tu tiempo amigo Pepe Paulo :)

Lamas disse...

É que o homem não presta mesmo.
Ainda antes do consulado no DN já ele se comportava como um ditador, mau caracter, arrogante e MAU.
Nos tempos em que vivia na Parede, era bem conhecido pelo seu mau feitio. A mulher Ilda e a filha Violante bem sentiram no corpo essa maldade.
Pelo fez então, nem Deus lhe perdoa.

Ana Martins disse...

Aplaudo e assino por baixo o que foi dito neste post.

Beijinhos,
Ana Martins

César disse...

Primeiro que tudo,parabéns ao administrador do Blogue.É a primeira vez que cá venho e já estou a gostar.
Em relação ao post,bom,o melhor é continuarmos a assobiar para o lado e deixar esse comunista pregar enquanto pode para as pedras da calçada.